encontram-me aqui

flickr
tanya.ruivo@gmail.com

31.10.09

ler uma fotografia

mostraram-me isto e quero partilhar!


primeiro ano de existência


parabéns

dia 28, foi dia de festa para este blogue! 1 aninho e ainda respira! confesso que nunca pensei que vivesse tanto, eu que me canso de tudo... mas continua aqui, sem nunca ter uma linha certa, porque a minha vida, nunca é certa.

27.10.09

é só um cheirinho



apaixonei-me por estas crianças! quero voltar a estar no meio delas e aprender com elas! falarei mais tarde sobre este dia e todos os que passamos em xanthi! dias emocionantes e intensos! neste momento, ainda estou sem palavras, mas o meu coração está cheio de coisas boas!


17.10.09

perdidos e achados

é incrível o que se consegue encontrar em viagem! nova descoberta: duas cuequinhas pretas, muito femininas!

14.10.09

no meio dos turcos

- podíamos entrar amanhã na turquia, pois amanhã fazemos 6 meses de viagem! - disse eu, mas claro que queria entrar o mais rapidamente!
encontramo-nos em
istambul e apenas ontem reparamos que entramos na turquia, enganados com as datas...

- não rafael, as datas estão mal - apontando para os ficheiros das fotografias no computador - afinal entramos no dia 7 e não no dia 5!... isto de viajar faz com que nos percamos nos dias... percebem não percebem?

pois é, cá estamos em istambul! cheira a ásia mas nem vamos lá pôr os pés... com muita pena minha. fica para o ano, assim espero! chegar a istambul, salvou esta vinda à turquia. não que não tivesse a gostar mas senti pouco, mostrou-me pouco... não foi amor um amor louco de morrer que senti mas sinto que me quero apaixonar por este país, quero ver mais dele e penso que para isso temos de saltar para a parte asiática!

como foi a nossa passagem para a turquia, perguntam vocês. ora bem, foi assim:

passamos vários postos fronteiriços até chegarmos à terra de ninguém. estávamos com um enorme sorriso e sabia bem passar pelos carros, sem precisarmos de parar, pois os guardas olhavam para nós, sorriam e mandavam-nos avançar! quando chegamos ao posto de controlo turco, paramos para uma fotos, quase histéricos * e uma felicidade que saia pelos poros*! olhamos para o lado e vimos uma cabeça saída da cabine. esta gritou:
- welcome to turkey! - e deixou-nos passar.

último posto, já quase com os pés na turquia.

- dirijam-se à cabine 92 para tirar os visto"

eu sabia! não podia estar tudo a correr bem! eu tinha dito ao rafael:

- estamos a rir muito, isto ainda vai dar problemas...

30 euros para o visto! euros ou dólares. não tínhamos nem um nem outro... o que tínhamos de fazer era voltar para a bulgária, levantar dinheiro e cambiar para euros... na minha cabeça essas palavras suavam assim: "vais 10kms para trás, chegas lá cansada e com má cara. levantas a merda do dinheiro e voltas a fazer 10 kms para a turquia. trocas o dinheiro. somo esses 20 kms aos outros todos e fazes esses kms a mais, chateada, não vai ser nada fácil"

voltamos para trás, até chegar novamente aos postos búlgaros. não foi preciso ir mais longe! conseguimos fazer um pagamento de 30 euros com o multibanco e receber esses 30 euros em dinheiro! dinheiro na mão, pés ao pedal e finalmente, corpo na turquia!!! à entrada uma enorme mesquita. era sinal que estávamos num país bem diferente e agrada-me imenso sentir as diferenças!

a primeira terra que visitamos com as bicicletas nas mãos, foi edirme. foi aí que soube que ia gostar deste país! tentamos arranjar sítio para ficar, sem ficar em nenhum hotel. não conseguimos. foi aí que soube que ia ser difícil arranjar casas. tivemos de ir embora com muita pena nossa. deixamos para trás uma cidade bonita, com pequenas ruas e mercados interiores e exteriores. muitos gatos nas ruas, e todos eles gordos!

não dormimos numa cidade bonita, mas dormimos por trás de uma bombas de gasolina! era mais atrás de uma hotel, ao lado das bombas. relvinha bonita, sol a secar a tenda! o pessoal das bombas foi 5 estrelas connosco. o primeiro café compramos mas o segundo já foi oferta! o pequeno almoço foi tomado dentro de uma sala privada! que quentinho que estava lá dentro! na despedida tivemos direito a um frasquinho de água de colónia para cada um. será que cheirávamos mal? o último banho foi no dia anterior de manhãzinha... agradecemos e partimos.

até agora, a turquia não foi dos melhores países para se pedalar. o caminho é monótono, desinteressante e com aquelas descidas e subidas que detesto, aliás, detestamos! prefiro subir durante 10 kms e depois descer. agora o sobe e desce constante... que nervos!a nossa sorte ou a minha sorte, é que de 100 em 100 metros* temos uma bomba de gasolina. bomba sim, bomba não, parávamos, ora para um café, ora para um chá que nos ofereciam. as pessoas são do melhor! querem sempre falar connosco, saber de onde somos, o que fazemos ali, se queremos chá... estão sempre prontas a ajudar mas não encontramos pessoas como na macedónia. lá, abriam-nos a porta de casa, aqui não fazem o mesmo... mas falam connosco e fazem questão em oferecer-nos chá. bebem chá como os portugueses bebem café, ou mais até!

voltamos a perguntar um ao outro:

- cheiramos mal?

desta vez ofereceram-nos daqueles perfumes para pendurar no carro, como aqueles pinheiros, mas estes eram com o formato do país. agora andamos com o cheirinho à frente das bicicletas e nas descidas o morango paira no ar! agora todos a cantar: "o morango está no ar... uh uh uh"

nesse dia o caminho estava a ser realmente maçador, tanto para mim como para o rafael e é bom quando estamos em sintonia. fizemos poucos kms... mal vimos um sítio para montar a tenda, paramos e começamos a preparar a casa. ficamos num pequeno parque, onde as famílias turcas fazem os seus piqueniques e voltam para casa, deixando o lixo no sítio onde encheram a pança! que sujidade!!! encontramos um espaço verde para montar a tenda e o rafael ia tentando livrar-se de alguns papeis, guardanapos, preservativos... voltamos a enfiar-nos dentro do saco-cama, bem cedinho!


ouvia passos...

- rafael, estás a ouvir?

tentava perceber de onde vinham... não era nada... não havia ninguém, apenas um ratinho que passava junto da tenda e que visitou o nosso caixote do lixo...

novo dia e novamente sem destino! isso significa novo dia sem banho... só tiro a fita do cabelo para dormir... mas o cheiro, sentia-o... mal paramos numa bombas para o cafezito, enfiamo-nos na casa de banho. como soube bem lavar as parte íntimas!!! as casas de banho com sanitas turcas são óptimas, pois ao seu lado há sempre uma torneira! sabonete na mão e limpeza feita! tiro a camisola e estou de soutien, no meio da casa de banho a lavar debaixo dos braços e a cara. o rafael ainda lavou o cabelo... o meu era mais difícil. mas já estava contente com o meu banho! o cabelo continuava por baixo da fita, não o via, mas fazia comichão...

estávamos cada vez mais perto de istambul... era só preciso dormir mais uma noite... onde, não sabíamos... chegamos à costa! finalmente o mar! este não é como o adriático, este cheirava um pouco mal até... mas foi assim que passamos a noite, com a tenta virada para o mar! pedimos autorização a uns senhores para montar a tenta perto do café. estávamos com uma pequena esperança que um deles nos convidasse para sua casa. nada!... montamos a tenda e tivemos direito a usar a casa de banho! já estava a pensar num novo pequeno banho, mas desta vez não tinha água. preparamos o comer, e quando fomos tomar o famoso chá, tivemos logo convite para nos sentarmos com um senhor que não falava nada em inglês ou qualquer outra língua que não fosse o turco. mesmo assim mantivemos conversa durante mais de uma hora, com direito a mais chá e pevides de cabaça. até trocamos contactos! não quero imaginar como será a conversa pelo telemóvel… sem gestos… vai ser lindo vai!

fomos para a tenda e adormecemos ao som dos risos dos senhores que se juntaram ao nosso amigo.

novo dia e sem nenhum convite para tomar o pequeno almoço com nenhuma família... que tristeza! nós já diziamos:

- se não for para nos convidarem, nem vale a pena cumprimentarem-nos!

fizemo-nos à estrada em direcção a istambul. o caminho estava a ser difícil, mas a vontade de chegar era muita!

depois deixaram de aparecer placas e começou a aparecer uma grande confusão de carros! sabíamos que estávamos perto ! uma via rápida que atravessava a cidade. não consigo descrever a confusão de carros! estava com medo, acreditem! o pior, é que eles aqui não têm civismo nenhum e estive perto de ter uma grande acidente! ainda agora não sei como mantive o sangue frio e me desviei do carro! estava na minha faixa para continuar em frente, o rafael dá-me sinal verde para avançar, pois ao lado direito tinha um corte e tínhamos de ver se vinham carros atrás de nós que quisessem virar. o problema, é que não usam piscas… sendo assim, um boi (peço desculpas) ultrapassou-me e virou à direita!!! não sei como consegui fazer a mesma curva que ele. estávamos em harmonia com 10 centímetros de distância… quando me encontro na berma é que consegui respirar! fiz duas pilinhas com as mãos e chamei muitos nomes feios, em português, pois claro. tenho muita pena em não poder enumerar os nomes (a minha mãe lê o blog...) tentávamos sair da estrada mas sempre que perguntávamos a um polícia se, por ventura, não haveria outra estrada mais pequena, para podermos chegar vivos a istambul, eles diziam que não e mandavam-nos para a estrada do inferno. que nervos! estava cheia de medo com aqueles animais ao volante! voltamos a parar e ficamos a olhar um para o outro... não queria continuar naquela estrada, seria de doidos, mas todos nos mandavam para ela!... eis que para um carro, e dele saem dois homens!

- estão com algum problema, precisam de ajuda? - isto foi música para os meus ouvidos!

- sigam-nos, vamos levar-vos para a costa e de lá podem seguir em segurança! - que palavras tão bonitas!

claro que havia outra estrada! era impossível haver só aquela, mas como nenhum polícia sabia falar inglês, o mais fácil era dizer que era sempre em frente... finalmente à beira mar, e tínhamos uma pista para bicicletas no meio do parque! que bons homens! obrigada, obrigada e obrigada! a pista de bicicletas entrava num grande parque, onde muitas famílias estavam, sentadas na relva, com o seu grelhador. havia tanto espaço livre, mas havia famílias que gostam de grelhar as carnes, mesmo no meio da pista! tínhamos que interromper o nosso caminho para poder passar com cuidado...

istambul! cá estamos nós! chegamos no dia 10 e ainda cá estamos e a vontade de sair é pouca... as duas primeiras noites, foram passados na parte antiga da cidade. escolhemos um hostel e decidimos ficar alguns dias por cá.

istambul tem 10 milhões de habitantes, tantos como portugal inteiro! isto é uma loucura! é tanta gente que há sítios difíceis de caminhar...atravessar a cidade a pé é impossível, pois tem 120 kms de comprimento! a parte antiga da cidade é a mais turística. mas gostei de me passear pelas suas ruas estreitas e ver as suas casas velhas. fiquei admirada com a imensa quantidade de gatos que há na rua! e todos eles gordos!!! já descobrimos o porquê! estava o profeta maomé a dormir, e quando acorda, viu que estava um gato a dormir no seu manto. para não acordar o gato, o profeta rasgou o seu manto, e assim o bichano não acordou e continuou no seu sono profundo! lindo! sendo assim, o gato é como que sagrado e todos respeitam esse animal, deixando comida na rua e fazendo com que nada de mal lhes possa acontecer! os cães também são bem tratados. nunca tinha visto cães vadios tão gordos! vi os cães com uma espécie de brinco na orelha. e agora perguntem-me porquê! eu explico. é para os veterinários saberem a sua identificação, sim porque esses cães são vacinados e tratados! é um luxo ser gato e cão de rua na turquia! eu bem tento miar na rua mas nenhum restaurante me oferece comida...

o que gostei da parte antiga, foi entrar na mesquita azul. claro que tapei o cabelo - coisa que está escrito à entrada mas muita gente não respeita - e mesmo assim, deram-me outro lenço para tapar os ombros. um lenço azul claro. parecia a virgem maria!

o grande bazar é outra coisa a não perder, até nos podemos perder lá dentro, tal é o seu tamanho! mas fiquei um pouco desiludida... pensava que ia ter mais confusão, tipo marrocos, mas não, é tudo muito arrumado (atenção, em marrocos os mercados também são muito limpos!) com quase tudo dentro das lojas modernas... outro bazar que gostei foi o egípcio, esse sim! um mercado cheio de especiarias! adorei os cheiros!

agora estamos na parte moderna. bastou atravessar a ponte para nos sentirmos noutro país! até as pessoas são diferentes! estamos realmente numa cidade europeia! passeamo-nos numa rua que é o triplo da rua de santa catarina, no porto! lojas modernas com coisas giras! controlei-me para não colar o meu nariz nos vidros e para não me babar neles... aqui moram os ricos de istambul, e da turquia. conhecemos a mãe de um rapaz que o rafael conheceu na bulgária. foi realmente bom! está cá há 10 anos, a dar aulas de francês (pois, ela é francesa) mas antes esteve uns anos na bulgária e antes ainda, 6 anos em portugal! foi bom ouvir um pouco da sua vida e das suas viagens e foi bom ouvir o quanto ela gosta de estar cá e como gosta dos turcos!

saíndo de istambul, invertemos o trajecto... começamos a pedalar em direcçõo a casa. ainda falta para chegar mas o facto de saber que já estamos de volta a casa, parece que já deixa saudades. é difícil explicar...


*exagero da autora

13.10.09

mãe e pai, já passei a bulgária!

pois é, a vossa filha já atravessou a bulgária! é difícil de acreditar, eu sei mas o que e certo é que consegui!
sim, temos comido bem e já comprei vitaminas. o meu cabelo anda a cair menos. a menstruação só apareceu uma vez durante esta viagem... pois, não sei se é mau ou bom, mas não sinto saudades nenhuma dela! deve ser por causa do inquilino que tenho no braço. daqui a algum tempo devo ter o período regulado, não te preocupes!
os primeiros quilómetros neste país, foram os meus preferidos! começamos logo com uma descida e paramos a meio para comer pão com aivar, aquilo que vos falei, que é feito com pimento vermelho, tomate e é óptimo! sim, mãe, ando agasalhada! na descida vestimos a camisola de manga comprida, pois já começamos a sentir a pele arrepiada com o frio... foi nesse momento - o de vestir a camisola - que uma senhora apareceu, sorriu e fez um sinal para esperarmos. quando apareceu, trouxe um saco cheio de maçãs, tomates, pêras e pêssegos! e não foi só isso! voltou a fazer o gesto para esperarmos e voltou com um novo saco, este com pão e chouriço. pois... aceitamos o chouriço mas oferecemos a um mendigo no centro da cidade. como estão a ver, estamos a ser bem tratados e acarinhados! quando nos abrem a porta e nos oferecem coisas, penso muito em vocês. penso no quintal, onde a avó planta um pouco de tudo. sei do vosso medo em abrir a porta a pessoas estranhas... mas por favor, não tenham medo de quem viaja de bicicleta ou a pé! elas só querem um espaço para dormir e a simpatia das pessoas! não custa nada oferecer alguma coisa do quintal e se fizeres um prato típico português ou apenas uma sopa quente, eles irão agradecer, disso tenho a certeza! vão ver que não serão esquecidos e essas pessoas vão continuar a viagem convosco no coração e no vosso coração também vão sentir algo de diferente, vão sentir-se bem, acreditem!
o lubimo foi o rapaz que nos acolheu em blagoevgrad. fomos ter com ele à sua galeria onde estava a sua namorada. moram afastados da cidade, numa pequena aldeia a 8 kms da confusão. jantamos juntos e comemos uma sopa de feijão que soube tão bem! passamos a noite na conversa, e tivemos uma aula sobre a história do pais. havia coisas que me passavam um pouco ao lado por causa do inglês... a conversa desenrolou e caiu em assuntos utópicos e em teorias estranhas. a conversa começou a chatear-me quando começaram a falar sobre ser vegetariano e sobre a água sentir dor... já sabem qual é a cara que fico quando não estou a gostar da conversa mas tentei disfarçar e preferimos ir para a cama, desejando boa noite, com um sorriso nos lábios!
no dia seguinte, éramos para ficar em pernik em casa de uma conhecida da prima do rafael. só estávamos a espera da confirmação para ir até lá. vês, não precisam de se preocupar, nessa noite pelo menos, não iríamos fazer campismo selvagem! sei que vos deixa preocupados mas... há noites que tem mesmo de ser.

a confirmação demorava... estávamos à espera de uma resposta que demorava a aparecer. tínhamos à nossa frente uma estrada que virava para a esquerda e que ia até pernik e outra estrada que virava para a direita que chegava até sofia, passados 20 kms. a noite aproximava-se a grande velocidade. não conseguimos ter uma confirmação positiva então decidimos virar à direita, para a capital e ficar num hostel, pois só tínhamos casa no dia seguinte...
estava escuro, não via n
ada! sim pai, andamos com luz mas a minha luz da frente é muito fraquinha e a do rafael ficou esquecida numa casa, na polónia. estava muito trânsito... muitos camiões... segurava firme no guiador e tentava não travar, para chegar rápido ao destino mas travei rápido, quando o rafael me lembrou para ter cuidado com os buracos dos esgotos. pois, parece que é moda tirarem as grades e as tampas dos esgotos. que aventura que foi!
chegamos a sofia e encontramos o hostel que um amigo de guimarães, encontrou através da internet. hostel mostel, do melhor! tomamos banho com toalhas que nos arranjaram, comemos e descobrimos que andávamos uma hora atrasados... (por isso a noite
caiu tão rapidamente!). o pequeno almoço foi do melhor! aposto que ando a comer mais pão que tu pai! e depois tinham em cima da mesa compotas caseiras... irresistível!

no dia seguinte fomos conhecer o rui (amigo de um amigo nosso). ele é português e está a viver na bulgária há 3 anos e fala tal e qual como um búlgaro! é impressionante! entrar na sua casa foi como entrar numa casa de família ou até na minha própria casa. fez-nos sentir bem e isso fez com que ficássemos mais dias do que aqueles que tínhamos em mente. arrumamos a nossa comida na cozinha, colocamos a fruta num prato em cima da mesa, tiramos o lixo e colocamos um novo saco de plástico no balde, lavei a casa de banho!!! há 5 meses que não o fazia, e soube tão bem! sentir o cheiro do detergente nas mãos... visitamos a cidade que nos agradou, nada de especial mas havia qualquer coisa que nos fazia sentir bem! saímos com o rui à noite e com amigos dele. não imaginam a quantidade de búlgaros que falam português, apenas por gosto!
saímos de sofia (e agora a bomba...) sem sítio para dormir! pedalamos até ficarmos cansados. o caminho era de ficarmos com os olhos esbugalhados! o bom da bicicleta, é que não vou a dormir como no carro!
do nosso lado esquerdo, tínhamos uma montanhas enormes de 2000 metros! e do lado direito, umas colinas de 700 metros. nós estávamos entre elas, a contorna-las e a admira-las! sei que tu pai, não gostaste nada da ideia desta viagem. sei que te chateou, te preocupou... mas sei que serias perfeitamente capaz de fazer uma viagem assim e ias adorar como eu estou a adorar! tenho visto coisas lindas e muitas vezes penso "os meus pais iriam adorar estar aqui!" até iriam querer acampar onde acampamos! num grande campo de cultivo, por detrás de umas árvores que nos escondiam da estrada e uma enorme montanha do outro lado! lindo! mãe, tenho saudades das tuas sopas pois a sopa instantânea que comemos nessa noite, era horrível! mas deu para aquecer o estômago e enfiarmo-nos no saco-cama às 7 da noite... acordamos com muito frio! calcei as meias e as sapatilhas e se tivesse luvas, tinhas posto! que frio...
estávamos nós a caminho de ivan vasovo quando paramos para beber 4 cafés! pois eram tão baratos e precisávamos d
e acordar... estávamos nós a olhar para uma macieira quando aparece a senhora do pequeno café e colhei 4 maçãs para levarmos! estão a ver como não custa nada? pegamos nas bicicletas e mais à frente estava uma velhinha, muita velhinha que parou para nos ver. o que estaria ela a pensar? há coisas que fazem com que ganhe o dia e nesse dia, foi ver essa velhinha. quando sorri para ela e a cumprimentei. ela fez um enorme sorriso! ganhou vida!levantou os braços dizendo adeus e desejando-nos boa viagem. fiquei com a sua expressão durante uns bons quilómetros, nesse dia!
chegamos a ivan vasovo e conhecemos a família com quem iríamos ficar durante uma noite. no início não nos estávamos a sentir muito bem... mas com o passar do tempo começamo-nos a sentir mais à vontade. essa família escolheu viver numa aldeia com 250 habitantes, longe da confusão. não consomem nada embalado, comem o que colhem da terra e assim sendo, comem apenas as frutas e os legumes da época, tudo sem pesticidas! e claro, são vegetarianos! as suas ideias eram boas ideias, estava a gostar de ouvir mas são apenas ideias e passar à acção... eles querem construir uma escola onde se ensina o essencial. as crianças aprendiam com a terra, aprendendo com o diálogo e tudo o que os rodeia, ficando longe da sociedade consumista. pode ser interessante mas não sei se um dia isso acontecerá...
nessa noite tomamos um dos melhores banhos! numa nascente de água quente, no meio da noite! maravilha!!! foi bom termos passado pela aquela aldeia e trocado algumas ideias e ideais. estava na hora de partirmos e foi isso que fizemos. despedimo-nos e fizemo-nos à estrada até plovdiv.

chegamos cedo pois apenas fizemos 40 kms. deixamos as bicicletas no trabalho da vanya, e fomos almoçar com o dario, seu amigo. fomos todos para casa e lá conhecemos o radi, namorado da vanya. saímos juntos e passamos a noite numas escadas. uns sentados, uns em pé, uns a tocar instrumentos, outros a dançar, a ouvir ou a abanar o pezinho. as pessoas paravam para ouvir ou para lhes dar os parabéns e acabavam por deixar uma moedinha no pano estendido no chão. o que tocavam era realmente muito bom e não dava vontade de sair de lá.
mas as horas passavam e decidimos deixa-los para, xixi e cama... no dia seguinte queríamos visitar a cidade e não ficar o dia todo na cama. passeamo-nos e ficamos a gostar mais da cidade! das suas casa dos seu cantos e recantos!
encontramos alguns legume no lixo - quero dizer - não estavam bem no lixo... estavam em cima de uma folha de jornal, mesmo para as pessoas passarem e tirarem, pois estavam frescos e com óptimo aspecto! ficamos com tomates, pimentos e chilis! e saímos sem pagar! vá mãe, não faças essa cara! era uma pena deixar lá os legumes a estragarem-se!!!
foram realmente dias bem passados! numa casa onde acordávamos e víamos pessoas que ninguém conhecia. não tinham onde dormir e foram simplesmente convidadas para lá passarem a noite.
bem... próxima paragem foi em haskovo. se vocês acham que somos doidos, deviam conhecer o casal que conhecemos!!! também são amantes de viagens mas eles usam o polegar para se deslocarem! e vão bem longe!!! é incrível ouvir as suas aventuras! só para terem uma ideia: ele estava a trabalhar na nova zelândia e ela decidiu ir ter com ele, mas à boleia! ela visitou muita coisa antes de chegar até ele, e quando se encontraram continuaram a viagem juntos! ela andou pelo nepal, índia, cazaquistão, tailândia, malásia... sozinha e de polegar no ar! e acreditam que não lhe falta nenhum dente, nem perna, nem olho? ouvi-los falar com tanto entusiasmos e com um sorriso nos olhos, nos lábios, no corpo... fez com que ganhássemos nova energia e novos projectos para o futuro!!! sim, porque esta não será a última viagem! não vale a pena levarem as mãos à cabeça!
só ficamos lá uma noite mas chegou para sairmos com uma enorme vontade de pedalar pelo mundo! quando demos por nós, já estávamos no destino... foram 30 kms e já estávamos em harmali em casa da dobromira. comemos coisas tão boas lá! hum! claro que fiquei com as receitas, mãe! quem tem vergonha passa fome, não é? pois eu devia ter um pouco mais de vergonha pois não conseguia parar de comer!!!

acordei com a cleo, a sua cadela pitbull, ao meu lado na cama e a bocejar com a boca mesmo em frente à minha cara! que medo, ver aquela boca aberta mesmo perto da minha cara... acordamos cedinho e às 8:30 já estávamos a conhecer um amigo da dobromira, que seria o nosso guia naquela manhã. às 8:40 já estávamos a visitar um museu. às 9, já estávamos sem a dobromira. às 9:30 já estávamos de novo com o seu amigo e com a emília, que seria a tradutora. fomos visitar os arredores da cidade e como o tempo estava a passar a alta velocidade, decidimos pedir para ficar mais uma noite. a tarde foi passada a dormir num jardim e como fomos convidados para beber um café em casa da tradutora, às 5h já lá estávamos! para beber e comer estamos sempre prontos!!! voltamos para casa e voltamos a comer coisas deliciosas! como é bom descobrir novos sabores!
deitamo-nos cedo e acordamos bem cedo... nesse dia teríamos os pés na turquia! entrar num novo país, significa pedalar com mais entusiasmo para ver novas coisas!
e pronto... foram assim os nossos dias na bulgária! como vêem, não precisam de se preocupar pois está tudo a correr bem!
abraço-vos e beijos-vos e logo falamos pelo skype!
adoro-vos!

coisas que acontecem


há frases que estragam o dia, a noite, tudo...


12.10.09


eu


hostel

as cores eram vivas: laranja, lilás e rosa


tinha várias prateleiras com livros de várias línguas


pequenas mesas com pequenos bancos


uma mesa comprida com muita informação


foram duas noites bem passadas, no sinbad hostel.

o meu primeiro prémio


a moi chéri do e assim vou passando o tempo deu-me este prémio: lemiscata.
agora vou fazer copy/paste: "o selo deste prémio foi criado a pensar nos blogs que demonstram talento, seja nas artes, nas letras, nas ciências, na poesia ou em qualquer outra área e que, com isso, enriquecem a blogosfera e a vida dos seus leitores.".
sinto-me feliz! leram bem? "...com isso enriquecem a blogosfera e a vida dos seus leitores." e com isso apetece-me cantar e atirar flores para o ar! apetece-me rebolar na relva e fazer bolas de sabão!
agora é a minha vez de nomear sete outros blogues para o prémio lemiscata. confesso que não leio muitos blogues... não tenho muito tempo para vasculhar novos blogues mas há uns que não perco de vista e entre esses os vencedores são... (sem qualquer tipo de ordem e como me chateia explicar o porque gosto... mas vou tentar)

1. este blog precisa de um nome da
leonor - gosto do design do seu blog, das suas fotografias, dos seus pensamentos e adoro os seus desenhos e os trabalhos que faz. (ok... sei que já não estão neste novo blog... mas este é uma continuação)
2. dias assim da
sofia - gosto das suas fotografias (pois gosto de fotografia), dos vídeos que ela nos apresenta e gosto de ler os seus dias.
3. fotografário da
ana c. - gosto da "limpeza" do seu blog, das suas fotografias (já disse que gosto de fotografias?), dos pequenos textos que escreve em algumas fotos e gosto dos seus gatos.
4. menina limão da
menina limão - gosto da sua música, gosto do seu trabalho, dos cartazes. simplesmente gosto de abrir a o seu blog e este não me cansar os olhos.
5. 2numundosobrerodas de
2numundo - gosto porque... ai... porque será que gosto? porque realmente adoro esta viagem pois faço parte dela!
6. cet petits riens de
2numundo - não é por ser de quem é mas sim, gosto das suas fotografias e tenho aprendido com ele.
7. ufa... está a ser difícil... não sei se é permitido retribuir o prémio mas estou com dificuldades em nomear mais blogues... tenho lido alguns, mas não me sinto ainda apaixonada. permitido ou não, retribui o prémio à
moi chéri com e assim vou passando o tempo - é bom ler o seu blog como se fosse ela a falar. gosto de espreitar os seus dias e saber o que vai acontecendo na terra onde gostei de estar. e foi ela a culpada por eu ter um blog!

hum... que bom

pedaços de mim