encontram-me aqui

flickr
tanya.ruivo@gmail.com

24.5.09

os dias a percorrer o rio loire

apenas ficamos um dia em casa do arno... tivemos pouco tempo com ele, pois deixou-nos sozinhos em sua casa, para ir ao treino de hóquei. ficamos em casa, sem vontade de sair para conhecer o pouco ou o nada - como o arno diz - roche-sur-yon tem para mostrar. preferimos ficar em casa rodeados de banda desenhada, objectos antigos a decorar a casa, posters de cartoons... mesmo no pouco tempo de conversa, achamos o arno muito simpático e acolhedor! fez tudo para nos sentirmos bem em sua casa!
acordamos com chuva mas depressa o céu ficou limpo para a nossa partida. novo destino seria nantes, em casa do françois.

mais uma casa que conhecemos! qual filme psyco... entramos numa casa antiga, casa que não deve ter sofrido obras, desde que sua mãe saiu. algumas unhas cortadas no chão, davam o ar da sua graça. tigelas escondidas nas prateleiras ainda sujas, com resto de comida já seca. segundo andar, a desarrumação permanecia. uma casa bastante particular esta. uma mesa com uma pistola, e lá ele garantiu que não era nenhum psicopata, que era apenas um passatempo que tinha - tiro ao alvo - ok, fiquei mais descansada, mas o rafael verificou se no jardim, tinha bocados de relva levantado. um jardim bastante selvagem, bem escondido da vista dos vizinhos, mas o relva estava intacta, sem sinal de corpos enterrados. no seu quarto, mostrou-nos o seu orgulho, uma enorme tela onde passa a vida a ver filmes. uma tela que ocupa a parede toda!
passear em nantes ao domingo é um pouco triste... ver todas as lojas fechadas e com pouca movimentação, não dá muita vida a cidade.


vale a pena visitar nantes, nem que seja apenas para ver as galerias e as construções dos machines de l'île. é impressionante! ver o tão famoso elefante a pouco metros, acreditem que é uma grande emoção! 12 metros de altura, 8 metros de largura e 50 toneladas! o elefante passeia-se pelos cais do loire onde transporta 45 pessoas. não entrei, nem vi o interior do elefante, preferi vê-lo com os pés no chão e ver toda aquele máquina em movimento!
a exposição dividia-se em vários espaços. primeiro entravamos numa sala, onde tínhamos à vista várias máquinas do próximo projecto. em cada uma delas, tinha uma rapariga que falava um pouco da máquina e podíamos vê-la em movimento. tínhamos o barco tempestade, o caranguejo, a lula, uma raia... máquinas que estarão dentro de um gigante carrossel de 28 metros de altura e 20 metros de diâmetro, pronto em 2010. um verdadeiro mundo imaginário! a exposição não serve apenas para ver essas máquinas, mas sim, para também termos o prazer de manipula-las- e sim, tivemos esse prazer! num peixe onde precisavam de 4 pessoas, em que duas delas, teriam de pedalar. fomos escolhidos para pedalar... nem no nosso dia de folga nos livramos dos pedais! adorei a experiência! até recebemos uma salva de palmas quando anunciaram que tinhamos vindo de portugal de bicicleta... na sala ao lado, tínhamos uma grande maqueta de uma árvore gigante (l'arbre aux héron) que ficará pronta em 2012 com 28 metros de altura e 48 metros de diâmetro. as pessoas vão poder caminhar durante um 1km em cima da árvore. tivemos a oportunidade - no fim da visita - de nos passearmos num dos troncos gigantes que está a vista para criar curiosidade! noutra sala, temos um vídeo a passar com os engenheiros a falar das obras e do bem que é para a cidade em haver coisas novas a acontecer. assim chamam os turistas, assim a cidade cresce! durante a semana, quem for à exposição, tem o privilégio de assistir à construção das máquinas. não tivemos esse privilégio pois fomos a um domingo, e domingo ninguém trabalha...




no fim da visita à exposição, continuamos a passear em nantes mas já com ideia de voltar para casa. uma café chamou-nos a atenção e tivemos de entrar! como soube bem parar num sítio agradável com um piano onde qualquer pessoa se pode sentar e tocar um pouco. tomamos um café ao som do piano, tocado tão delicadamente por um rapaz, que agradecemos quando esse se foi embora. o café chama-se le lieu unique, e vale a pena entrar para nos passearmos um pouco, pois tem uma parte com venda de livros, outra com coisinhas à venda e outra com as mesas.

fim do descanso no le lieu unique, e voltamos para casa. ia chegar mais um hóspede a casa,um italiano que iria ficar um mês em nantes para aprender a falar francês. jantamos os quatro e foi muito agradável. chegava a hora e fomos dormir, sem sentirmos nenhuma faca no pescoço...
saimos cedo de casa e fomos em direcção a savennières. estavamos tão cansados... tinha vontade de fechar os olhos, mesmo estando a pedalar. queria muito beber um café e então estacionamos as bicicletas e entramos num café para acordar, para fazer desaparecer o sono. conversa puxa consersa - as bicicletas são sempre motivo de conversa - e contaram que tinham feito uma viagem a portugal de mota e que adoraram. o senhor devia ter perto de 60 anos e cheio de energia e boa disposição! resultou a pequena paragem. falamos, rimo-nos e tiramos fotografias a uma fotografia que tinham tirado em portugal, que estava a decorar o café! partimos bem dispostos desta vez!
chegamos a savennières e não tinhamos o contacto do casal onde iriamos ficar, e não tinhamos internet... não sabiamos o que fazer... entramos num café para perguntar onde podiamos encontrar internet naquela aldeia pequenina, quando entra um rapaz que diz com um sorriso simpático que era na sua casa que iríamos ficar! que sorte que tivemos! o sebastien e a julie, com os seu dois filhos, acolheram-nos de braços abertos! entramos em casa e cheirava tão bem!!! o jantar estava pronto, assim como um delicioso bolo de chocolate!!! tenho pena de não colocar uma fotografia desta linda familia, mas não quero colocar fotografias das crianças... mas acreditem que é uma linda familia e um espirito muito bonito! a conversa obrigou-nos a deitar tarde e claro está, foi dificil acordar...
mesmo cansados, conseguimos chegar até saumur. uma cidade pequena mas muito interessante, com um lindo castelo. ficamos em casa do alain, e mais uma vez, gostamos! chegamos já um pouco tarde, e como estavamos cansados, não fomos visitar a cidade. ficamos na conversa e na brincadeira com uma menina de 5 anos que é como se fosse sua filha e a ver o orgulho que tem nela! é bonito de ver a sua relação! no fim do jantar e no fim de comermos a deliciosa tarte que ele confecionou, o alain propôs-nos, uma sessão de spa e sauna!!! tudo em sua casa! que maravilha! vesti o biquini e fomos de roupão e toalha na mão para o jardim. que tristeza a minha quando ele abre o jacuzi e vemos que não tinha água... ele ficou atrapalhado sem perceber o porquê... não tivemos direito a spa e então fomos fazer duas sessões de sauna!!! e assim passamos uma noite bem diferente.
cedo despertamos e deixamos as bicicletas em casa para conhecer um pouco a cidade. iriamos passear apenas da parte da manhã pois à tarde partiriamos para tours. o castelo é bonito mas não conseguimos entrar nele, pois ainda se encontra em obras, faz já 4 anos. uma parte do castelo caiu devido a um aluimento de terra. é simpatico saumur com as suas casas com os telhados pretos e chaminés cor de tijolo. voltamos para casa para buscar as bicicletas e despedirmo-nos de quem tão bem nos acolheu!
percorrer o loire em bicicleta, começa a cansar... é bonito, é certo, mas não tão bonito como o nosso douro! as vantagens aqui, é que o caminho é plano e quando chegamos a uma aldeia ou pequena cidade, é dificil ficar indiferente à sua beleza! mas quando não encontramos casas, o caminho é monótono... sempre igual... ai... é dificil chegar ao destino!
a meio do caminho descobrimos o castelo onde o conto d'a bela adormecida foi escrito e foi inspirado. bem gostava de ter entrado, mas de graça não foi possível e já era um pouco tarde para ver com calma o castelo... continuamos o caminho com muita pena, pois era muito bonito e soubemos que uma parte do castelo, ainda era habitado!
desta vez, quem nos acolheu foi a veronique, uma senhora com os seus 60 e qualquer coisa, de idade. ficamos duas noites para pudermos descansar e para poder conhecer tours. aproveitamos para visitar museus e passear pelas pequenas ruas e cafés, e houve um em particular que nos agradou. entramos no la serpent volant, para saborear o ambiente! 3 guitarras tocavam na entrada, criando um bom ambiente e assim o café ficou mais saboroso!

de tours para bloir e tortura do caminho... o rio loire; ora ao nosso lado esquerdo, ora ao nosso lado direito, os campos, ora verdes ora castenhos... o caminho, ora em alcatrão, ora em terra batida, e a chuva veio dar o ar da sua graça... os kms custavam a passar...
ficamos em casa do misha, onde também estavam a dormir duas brasileiras e um brasileiro. a casa era grande, então havia espaço para todos! descobrimos uma grande familia de portugueses que viviam nas traseiras da casa. sem qualquer tipo de problemas, o rafael fez-nos de convidados! fomos até la e ficamos na conversa em lingua portuguesa, onde por vezes saia palavras em francês!... voltamos a casa e a lingua portuguese continava a reinar. jantamos, conversamos, voltamos à casa portuguesa para um café, voltamos para casa para uma nova conversa, agora em inglês e fomos dormir...
a caminho de orléans! decidimos passar duas noites... temos os dias contados e temos de chegar dia 25 a paris, isso porque dia 26 vamos assistir ao concerto do grupo deolinda, que ambos gostamos muito. ficando dois dias aqui, obriga-nos a fazer uma pequena batotice... serão poucos kms... e é por uma boa causa! ver um grupo português em paris, não é todos os dias. perdoados?
pensava que iria gostar mais desta cidade. deu para relembrar que foi nesta cidade que jeanne d'arc esteve e fez história, e agora pudemos encontrar muitas estátuas dela. aproveitamos para sair no sábado à noite com a fred, a rapariga que nos acolheu e que nos mostrou um pouco a cidade. passamos momentos agradáveis em sua casa e com a sua vizinha que nos veio visitar!
e assim adormecemos...

4 comentários:

espirito selvagem disse...

estou cheia de inveja da vossa viagem ,pois conheço muito bem essa sensaçao de liberdade e de conseguir ultrapassar as penosas subidas e de olhar para traz e dizer "aquilo atavessei eu tudo de bicicleta " é lindo continuem com esse espirito muito bom e que cheguem a India ..... beijos e continuação de uma linda viagem seus valentes.... beijos de Beja

Camolas disse...

"Força nas canetas!", boa sorte para os dois de quem morre de inveja em Beja

Camolas disse...

Boa sorte aos dois de quem morre de inveja em Beja

wendy+peter disse...

O vale do Loire é lindíssimo não é?
A mim pareceu-me tirado de um conto de fadas que ainda existam castelos, palacetes, jardins, cidades inteiras que parecem ser imunes às malhas do tempo. Fico feliz de terem conhecido esses sítios que são tão importantes para mim. E qto aos Deolinda!!! Inveja inveja… lolol
Beijos e muita força!

Sara

hum... que bom

pedaços de mim