encontram-me aqui

flickr
tanya.ruivo@gmail.com

6.11.09

perto de casa

de regresso a casa... estranha frase, "de regresso a casa", como se a viagem terminasse por aqui e amanhã estivesse em casa, entre as "minhas" paredes verdes. o certo é que cada vez estamos mais perto. temos mais três meses para desfrutar, mas a palavra "regresso" faz com que se aproxime o fim desta viagem. sim, deixa-me triste. sim, tenho saudades de muitas coisas mas regressar... já? sim, há dias duros mas ninguém disse que ia ser fácil. e se fosse fácil, que piada teria? se não custasse subir a montanha, que piada teria chegar ao topo sem sentir o que se sente quando esta custa subir? não teria o mesmo sabor, não seria mágico! o sorriso das pessoas torna-se grande e sinto-me feliz quando sorriu para elas. há pessoas com o coração enorme e eu sinto-me grande a aprender com elas!
estamos de regresso... sim, há dias que sinto falta de vestir um vestido (eu que nunca fui menina de vestido), de fazer um risco nos olhos (eu que não me sei pintar), de comer uma francesinha vegetariana com uma super bock e como sobremesa uma nata! mas depois olho para as minhas calças verdes cheias de bolsos e alguns rasgos, para a minha sweat amarela, para as minhas sapatilhas sujas e fico contente por elas viajarem comigo!
perguntaram-me se não me custava... que ao rafael, sendo rapaz, não era difícil mas a mim... "não é difícil? pois és rapariga..." claro que é! mas não por ser rapariga!!! isso não! sempre fui uma maria rapaz, jogava futebol com os rapazes, adorava desporto mas detestava correr, tinha sempre dor de burro. ficava chateada quando perdia, em qualquer desporto. queria ser a melhor ou ter a melhor equipa! estive anos sem ter uma bicicleta e a primeira prenda que o rafael me deu, foi uma bicicleta. saímos no dia 8 de abril e posso dizer que era uma naba com o guiador! o meu irmão foi dos primeiros a dizer que não ia conseguir, que ia desistir e blá blá blá! nunca tinha feito mais de 10 kms seguidos. pois, mas 10+10 são 20 e se conseguisse fazer mais 20 da parte da tarde, no fim do dia seriam 40 e se não conseguisse fazer mais, "amanhã" seria um novo dia. não estava preocupada, só queria partir sem nunca pensar muito bem como seriam os meus novos dias... o que é isso de "seres rapariga, deve custar?" vou mais devagar que o rafael, há descidas que travo mais que ele, há subidas que sou obrigada a parar a meio para controlar a respiração mas estou aqui cheia de novidades para contar no meu regresso! não me preocupa se hoje tenho banho ou não, se vou dormir numa tenda ou num sofá. quero é continuar a sentir esta sensação, de ter o guiador nas mãos, um sorriso nos lábios e fechar os olhos por dois segundos! ouvir música e cantar alto nas descidas, como se estivesse sozinha. por mais novidades que traga para casa, não serei capaz de explicar essa sensação... posso chama-la de liberdade? ver as montanhas a aproximarem-se para o duelo e sentir-me vencedora no topo! olhar à minha volta e respirar natureza! tenho a descida para mim, aumento o volume e esse momento é meu, só meu!
estamos de regresso... e ainda há tanta coisa para ver e conhecer! uma das frases mais ouvidas nesta viagem foi "são doidos"... seremos? quando leio histórias de viajantes, olho para a nossa viagem e vejo o quão meninos somos... a europa é tão pequena, tão igual a tudo o que nos é familiar, tão segura... claro que custa mas ainda há tanto para ver! seremos doidos em querer conhecer mais?

estamos de regresso e penso em partir...

3 comentários:

MagikPoiZion disse...

não são nada doidos. são pessoas comuns com uma vontade não tão comum. e doidos seriam se a ignorassem!

Maria disse...

Bonito post, gostei. Venham em direcção aos bolinhos de chocolate, eheheh! Depois logo partem outra vez! ;)

Femme chocolat disse...

magikpoison - diz-me ao ouvido como posso entrar no teu blog!

hum... que bom

pedaços de mim