encontram-me aqui

flickr
tanya.ruivo@gmail.com

5.7.09

e assim saímos da holanda

despedimo-nos de roterdão já um pouco tarde... está a ser difícil acordar cedo para sair cedo de casa... voltamos para as bicicletas mais leves, sem a ideia de poder estar grávida! seguimos as direcções para den haag, sempre pelas pistas de bicicletas. o calor começa a apertar, o que dificulta a viagem.

não sei se iríamos à cidade onde vive a rainha, se não estivessem os amigos do rafael a morar lá. ficamos em casa do renato que vive com a namorada e uma amiga, ambas vindas da hungria. jantamos com o zé fernando e amigos dele, uns portugueses, outros holandeses, mas todos amigos que foi encontrando ao longo destes anos, fora de portugal. estivemos com o joca, num serão caseiro. com todos eles, trocamos experiências, nós da viagem e eles das suas vidas na holanda. recordaram velhos tempos e pessoas.
pelo que parece e como podemos assistir, a cidade é muito dinâmica. na altura que lá estivemos, estava a decorrer uma festa com animações e actividades teatrais. no centro da
cidade, as noites estavam preenchidas com concertos e nós podemos assistir a um! vive la fête. conhecia uma ou outra música deles mas o concerto surpreendeu-me! a energia dela, a sua imagem e os seus gritos agudos... uau!!! ainda deu para passearmos pela cidade e entrar numa exposição sobre m.c.escher e no final, voltamos para casa para estarmos na conversa e descansar um pouco, sem muita informação do exterior! domingo foi dia da partida, mesmo sabendo que nesse dia iria começar um grande festival, preferimos deixar den haag para trás e fazermo-nos à estrada! amesterdão estava a nossa espera e eu estava com curiosidade em entrar nela. quando chegamos e vimos onde iríamos ficar a dormir, sentimo-nos um pouco "chulos"! como posso explicar? estão a ver os canais em amesterdão? basta pensar num deles. agora pensem em vários barcos ao longo do canal e por último, troquem os barcos por casas. pois é! estávamos numa casa, num dos canais de amesterdão! só para terem uma ideia, abriamos a janela da sala e mergulhávamos para o canal (confesso que não mergulhei à confiança... entrei devagarinho) e o melhor é que tínhamos a casa só para nós! foi como ter férias nas férias! agora a cidade. não posso dizer que gostei da cidade... mas também não posso dizer o contrário. se calhar fui com as expectativas muito altas. estamos há 3 meses em viagem, 24 horas juntos, é difícil por vezes sairmos à rua com vontade de ver tudo e conhecer tudo. o calor era muito, os canais eram muitos, as pessoas eram muitas e o nosso cansaço era muito. ainda tentamos entrar em alguns museus, como o da tortura e o da cera... e pela primeira vez, não conseguimos entrar de graça. isso deixou-me mesmo "chateada" pois estava mal habituada, entrando sempre de graça em tudo! tudo junto fez com que não achássemos uma cidade fantástica, mas acredito que indo para lá com outro espírito, tudo se torne diferente e amesterdão passa a ser um dos sítios de eleição. penso que é uma cidade para se ir com um grupo de amigos. o que é extraordinário na cidade, é a quantidade de bicicletas! há parques subterrâneos para elas, há parques de estacionamentos de três andares, são novos e velhos a andar de bicicleta, há bicicletas de todas as cores, com cestos coloridos e com flores a decorar... há bicicletas para todos os gostos. se tiverem o azar de serem roubados, não vale a pena ir à polícia pois essa aconselha a fazer o mesmo... as nossas bicicletas resistiram a amesterdão e isso deixa-me contente! saímos, mais uma vez, tarde e a más horas de amesterdão. o dia ia ser duro, mas nunca pensei que fosse tão duro, ao ponto de pensar que não iria conseguir chegar ao destino. o jori estava à nossa espera em deventer e depois de 125kms, duas bebidas energéticas para cada um e chocolates, conseguimos chegar e conhecê-lo. só passamos uma noite e pouco tempo estivemos com ele, mas fez-nos sentir como se estivéssemos em casa. senti-me logo à vontade para me agarrar a uma almofada e estender as pernas para cima do rafael! não vale a pena prometer que nos vamos levantar cedo para não apanharmos muito calor... é inútil! apanhamos sol durante todo o caminho até enschede. chegamos a casa do hans e da babbete onde tivemos direito a um banho fresco e quando saímos do banho, na cozinha estava a mesa posta para nós. pensávamos que era o lanche, mas horas mais tarde descobrimos que já era o jantar... no fim do lanche, ups... jantar, fomos dar uma voltinha pela cidade mas desta vez, fomos de carro. na holanda, todos os cafés são servidos com um biscoito ou com uma fatia de bolo, e quando nos sentamos numa esplanada e pedi um café, finalmente este veio com a fatia! e falo com tanto entusiasmo do bolo por este ser de gengibre e ser tão bom!!! esta foi a última cidade da holanda e a dois kms tínhamos a alemanha onde nos encontramos.

4 comentários:

MagikPoiZion disse...

fiz bem em dar uma espreitadela ao teu blog para ver a tua versão de amsterdam... fiquei a perceber muito melhor o tipo de discurso do rafael - ele foi super parcial e um tanto radical! tu analisaste as coisas de outra maneira. há imensas circunstâncias que podem estragar uma cidade num determinado momento. foi pena. tenho a certeza (tenho mesmo!) que se as expectativas não fossem tão altas (a que propósito?) e as circunstâncias diferentes, tinhas gostado muito mais. beijocas!

xistacio disse...

por favor penteiem-se!!!
bjs nas nalguitas!
bons Kms!!!

xistacio disse...

pelo q vejo na ultima foto ja não viajas com um Neanderthal!!! parabens!!! ;)

H disse...

E agora para onde seguem?

hum... que bom

pedaços de mim